Inércia Sensorial

28 de August de 2005

Poemetas antes de dormir

Filed under: Poetria — inerte @ 23:47

Para ela

Mãos mãos mãos
Sobre suor se flui

Neologismo fabúlico

Bobóra princerra

Piratas

Em terra fim nado

Visão do futuro

O que preciso?
Não reencarnei criança atrás à imortalidade
Morte deixou um recado, venham celebrar
Ela me deseja, meus filhos saberão como portar
Legue-me, escorram dúvidas quaisquer
Dias, anos, semanas e meses

Frase da semana

Filed under: 32 Dentes,Política — inerte @ 07:27

No último ano tenho recebido uns emails dizendo a “frase do dia” ou a “frase da semana”… acho que alguém ouviu algo legal e resolveu mandar uma primeira mensagem, e uma enxurrada veio depois. Bem, a dessa semana é legal 🙂

Se eu soubesse que o Lula ia fazer isso com a economia e fosse acabar com o PT, eu teria votado nele antes

Bem, eu não votei nele antes, mas votei nele na última eleição, e é uma boa frase que captura o momento, então aí está.

Peter toma ecstasy

Filed under: Vídeo — inerte @ 00:51

Enquanto meu download dos episódios das três primeiras temporadas de Family Guy não termina, e só devem faltar uns 5 gigas, fico navegando pela internet vendo pequenos clipes do seriado… Só queria compartilhar esse, quando Peter toma ecstasy.

Family Guy é doente, simplesmente doente… várias vezes eu me encontro dando risada e me perguntando: Nossa, como tiveram a coragem de fazer isso…

Ah, e já vi o filme também. O Stewie bebâdo é genial :p

14 de August de 2005

Déspota Cachaceiro

Filed under: 32 Dentes — inerte @ 17:08

Tinha me esquecido que antigamente nesse site tinha um link para a biografia do presidente Lula com as palavras Déspota Cacheiro [PDF]. Ainda batem umas pesquisas via Google então, para alegria da nação, está de volta.

Me lembro que recebi por e-mail essa proposta de ligar as palavras com a biografia. À época me lembrou do Litigious Bastards e a SCO, e só por isso já achei legal. Depois também me lembro que mudaram o link do PDF, deve ter sido por causa do ranking no Google… cheguei até a ler alguns comentários ridículos como “A empresa Google ofende o presidente”, “Google, instrumento ianque de subversão”, coisas do gênero…

Pelos velhos tempos, link de volta. Quem sabe o quê isso vai dar… imagino até se posso ser processado por isso. Não posso, certo? Acho que não. Se eu quiser chamar o presidente de Déspota eu não posso? E de merdinha? Não tô falando que ele é, mas só me perguntando. Não sei se a lei permitiria zuar com a cara do Lula…. deveria, se não pode.

Quem caralho são esses japas?

Filed under: 32 Dentes — inerte @ 14:26

Assim chegou o email na lista do Friburgo do meu amigo Paulo. Achei inacreditável, como ele. Percebam o armário aberto, a decoração, as luvas em cada mão. Só fiquei na dúvida o que poderiam dizer as letras S e N.

N deve ser de Neutron, mas S? Tentei associar com algo de magnetismo mas me fugiram os nomes…

Quem???

13 de August de 2005

Havia

Filed under: Poetria — inerte @ 22:59

Quando eu estava fazendo a prova de eliminação de conteúdo de Desenvolvimento Web na faculdade hoje, aliás é o IBTA, deu um insight e percebi como “havia” tem a mesma pronúncia que “a via”. Então resolvi bolar alguns poemetas com essa palavra.

A primeira imagem que veio, é de uma estrada por onde alguém já andou, e como tinha uma bifurcação e a pessoa escolheu um determinado caminho. Fazem alguns anos numa coluna do Cony na Folha, ele mencionou um começo de um filme do Kurosawa (pena que eu ainda não vi). Um samurai também se depara com uma bifurcação, numa delas tem um cachorro morto, ele escolha ela para andar. Tem tanto significado esse começo de filme, tanta cultura japonesa, tanto sobre as escolhas de guerreiros, que eu não teria pele sobrando nos dedos se fosse digitar tudo.

E como não pretendo ser o Kurosawa, me reservo o direito de escrever qualquer merda, afinal não tem desculpa melhor para não fazer tão bonito quando você tem coisas como essa para comparar: É, tá ruim, mas tá na média 😉

Havia

Pés paralelos não encontram o infinito

Uma paródia:

Havia uma bifurcação no meio do caminho, no meio do caminho há uma estrada

Algo religioso:

 H
AVI
 A

Algo nerd:

No meu computador Havia uma placa-mãe

Nothing ends, Adrian. Nothing ever ends.

Filed under: Geral — inerte @ 22:48

Uou. Uou uou uou. Acabei de ler Watchmen. Se eu já não fosse tão velho esse gibi teria mudado minha vida. Tá pau a pau com Cavaleiro das Trevas agora no meu ranking pessoal dos melhores gibis de todos os tempos.

Eu costumava colecionar revistinhas. Comprava todas, antes delas virarem no formato Graphic Novel. Inclusive em sebos, X-Men desde o primeiro, Hulk, Homem-Aranha, Batman. Você se acostuma com a quantidade de mediocridade, em histórias de super-heróis lutando contra mals inventados. Mas o genêro tem arte em histórias como Watchmen.

O paralelo do pirata é genial. Assim como o tempo para Jon, a luta por sobrevivência, a destruição da moral humana e a volta à atividade pirata não são resultados de nossas escolhas, mas a inevitabilidade.

Estou andando em casa de um lado para o outro, pensando em algo para escrever, e notei como o chão, a mesa, os copos, parecem diferentes. Me lembro de ter me sentido assim depois de ver Assassinos por Natureza, ou aprender porquê o quadro Mona Lisa é considerado a maior obra de arte do mundo. É uma mudança que ocorre quando estou apaixonado. As cores estão diferentes, as músicas ganham novo tom, pelos meus dedos chegam novas sensações. Ler Watchmen me deixou excitado, e não porquê a história tem como parte das conclusões, que a nossa vontade de viver é decorrente da consciência de que apenas estamos aqui, que apenas existimos.

Quando eu tiver um filho, lá pelos 16 anos eu vou dar Watchmen para ele ler. Vai ser incrível 🙂

Powered by WordPress