Meus problemas com o Banco do Brasil Estilo

No dia 28/08 eu entrei em contato com o Espaço Estilo da agência na Joaquim Floriano por telefone, e conversei com João (nomes fictícios) para saber como transferir minha conta da agência do Centro Empresarial. Ele me passou a lista de documentos, os quais levei até ele no dia 30/08. Infelizmente apenas a proposta de emprego não foi aceita como comprovante de renda, mas no dia 06/10 eu tive em mãos minha Carteira de Trabalho com o valor do salário. Enviei um email ao João informando isso, mas não obtive resposta alguma. Então no dia 17/10 eu liguei para ele, mas ele estava em horário de almoço e nunca retornou minha ligação. A mesma coisa aconteceu quando liguei no dia 19/10.

Foi quando desisti da agência do Espaço Estilo da Joaquim Floriano e resolvi ir direto à agência Estilo da Juscelino Kubistchek. Fui atendido na agência por Pedro no dia 17/10. Ele me pediu mais documentos por email, que mandei no dia 18/10. Sem resposta, enviei outro email no dia 21/10.

Ainda sem resposta, liguei no dia 27/10, e fui informado que o Pedro me ligaria. Não ligou. Às quatro da tarde do mesmo dia, liguei novamente, e fui informado que o Pedro estava almoçando, mas me ligaria. Não ligou.

No dia seguinte, 28/10, ainda sem resposta, liguei novamente pela manhã, quando fui atendido por Marcelo. Ele disse que levantaria minha documentação com o Pedro para dar prosseguimento à transferência, e me retornaria no mesmo dia com mais informações. Não ligou.

Durante o final de semana, eu decidi abrir uma reclamação na segunda-feira, 31/10, logo após o almoço. Entretanto, na parte da manhã, o Marcelo me ligou dizendo que tudo estava caminhando. Esperei uma semana, até o dia 07/11, e não tive resposta alguma. Então abri uma reclamação no 0800 729 0722, que recebeu o número 14303812. Fui informado durante a reclamação que poderia esperar um retorno até o final da tarde de 08/11, e o prazo máximo até 14/11.

No dia 09/11, não tive retorno algum da reclamação e resolvi ligar com o número do protocolo. Dessa vez me informaram que o prazo era cinco dias úteis e eu deveria esperar até o dia 14/11, sem alternativas, e que não havia nada a fazer.

Insatisfeito, resolvi ligar mais uma vez na agência Estilo. Fui informado que sim! Minha conta foi aberta. Entretanto a transferência ainda não aconteceu. O cartão de crédito não está pronto (talvez ele tenha sido enviado para meu endereço antigo).

A única coisa palpável é que posso ir na agência cadastrar a minha senha da internet para a conta nova. Todas as outras operações normais que se espera fazer no banco, não há notícias.

Então vamos recapitular: Desde o dia 28/08 e estou em contato com o Banco do Brasil Estilo tentando transferir a minha conta. 3 emails não tiveram resposta. 6 promessas de retorno de ligação não foram cumpridas. Uma reclamação que não serve pra nada. Tenho uma conta aberta sem dinheiro, senha, cartão (débito ou crédito) ou cheque. Que eu tive de ligar para saber que existia.

E supostamente, tudo isso é o atendimento “Estilo”. Mas pessoalmente, é o pior atendimento que já experimentei na minha vida. Em qualquer empresa. Nem quando eu comprei um produto de um site e nunca me entregaram pois fecharam as portas, eu me senti tão frustrado. Eu ligo, mando email, faço tudo e qualquer coisa, e o retorno é zero.

Tudo, tudo, tudo que desejo é transferir uma conta de uma agência pra outra. Não deveria demorar 2 meses, e dezenas de emails, ligações e idas à agências.

PS: Eu sou ex-funcionário do Banco do Brasil. Não quero atendimento diferenciado por isso, mas só acumula a frustração. Saber que o carinho que eu tenho pela empresa é destruído cada vez que tenho de interagir com ela.

  • Thiagoc

    Amigo. Maças podres ha em todo lugar. Sou cliente estilo no BB e Personnalite no Itau. Ja ouvi reclamacoes de ambas as carteiras, mas em minhas agencias sempre sou carregado no colo pelos funcionarios. A proposito: Encarteiramento Estilo nao traz tantos beneficios assim. Se vc quer atendimento prioritario de verdade, va ao Itau.

  • A Abatti

    Prioritário? Itaú? Vc está brincando, nÉ?

  • Taipata

    levamos 3 meses e muita desinformação e incompetencia apra abrir a conta da nossa empresa no BB. Um conhecido abriu no Itau a conta da empresa dele em 24h…. Só abrimos no BB para poder participar de licitacões e pq nossas contas pessoais são no BB. O banco dificil de lidar. Os funcionarios são perdidos, tem um monte de burocracia, papeis que tem que preencher a mão, isso que nós somos clientes pessoas fisica a mais de 10 anos do banco, na mesma agencia…

  • http://www.viroumoda.com.br/ Henrique

    O nome já diz tudo BB (bebê): engatinha (enquanto o mundo corre), não sabe falar (a linguagem do cliente), faz bagunça e não sabem resolver (por isso, tanta burocracia).
    Ser banco é coisa de gente grande. O Banco do Brasil só existe, como vários órgãos públicos, porque não fecham as portas. Erram, erram e erram…  e o povo é que paga!O BB foi o primeiro banco criado no Brasil e parece ser administrado no estilo de D. Pedro e sua equipe técnica.Como o BB cresce, então? Abertura de contas condicionadas pelo governo. Muitos brasileiros só estão no BB porque são obrigados a receber seus salários naquele banco. As empresas só conseguem financiamentos com abertura de conta (adivinha?) naquele banco…  E por aí vai!BB ou BBB é a mesma coisa!  Estou fora!Liberte a mente, Brasil!

  • Alberto

    Desde este mês de janeiro ninguém é obrigado a manter conta em qualquer Banco para recebimento de salários. Entrou em vigor a portabilidade bancária. E funciona. 
    Juntamente com Itau e Bradesco o BB é um dos três maiores bancos do país. E pode ter certeza que não é porque o “povo” paga como li em um comentário anterior. A instituição é avitária (e muito) há anos por conta do desempenho na venda de produtos e serviços, bem como a cobrança de tarifas (como os demais bancos).
    O BB não é órgão público, tampouco os funcionários são servidores públicos. A instituição é de economia mista. Assim está sujeita aos deveres de órgãos governamentais como licitação e a necessidade de várias negativas de débitos (daí resulta os excessos burocráticos) mas deve ser eficiente e rentável em razão dos investidores privados.
    Qualquer empresa possui ótimos funcionários e outros nem tanto.

    Não entendi porque a necessidade de comprovar renda se o reclamante é ex-funcionário e recebe em sua conta. Não é necessário apresentar qualquer comprovante. A não ser que fosse necessário para compor a renda mínima do segmento Estilo.

  • O Doido Vinicius

    Banco do Brasil é uma merda de banco, onde trabalha um bando de concursado vagabundo.

    A melhor coisa que fiz foi fechar a minha conta nesta porcaria e nunca mais voltar. Bradesco e Citi são infinitamente melhores.

  • Ricardo

    Não obstante eu concorde com o Alberto no sentido de que o Banco do Brasil é uma das mais lucrativas e seletas instituições bancárias no país, aliás estruturado como Sociedade de Economia Mista como bem lembrou, há que se ponderar que o serviço poderia ser melhor, eficiente e padronizado.
    Falo isso porque sou cliente do segmento de alta renda nesse e em outros dois bancos e posso avaliar a diferença no atendimento e preparo dos funcionários.
    O que sinto no Banco do Brasil é exatamente a lendidão e uma herança de tempos em que ser funcionário concursado era garantia de vida. Em nossa história, a burocratização do Estado foi uma fonte de empregos e distribuição de rendas tendo em vista o modo em que se operava nossa economia. Além disso, falando ainda em distribuição, os bancos estatais operavam como mecanismo de distribuiçào de serviços em localidades nas quais jamais a iniciativa privada teria interesse em investir. É só comparar a presença do BB e de outro banco, o Itaú por exemplo, nos sertões do nordeste ou florestas de Rondônia na década de 80.
    Hoje, entretanto, esse panorama econômico mudou radicalmente e o Princípio da Eficiência, recentemente constitucionalizado, trouxe uma nova forma de atuação do setor público, seja por parte da Administração Direta ou Indireta. Essa última da qual faz parte o BB independente de ser empresa pública ou sociedade de economia mista.
    Infelizmente o que se vê no BB é um descompromisso com a visão singular de atendimento diferenciado e fidelização. Em uma mesma agência de varejo, colocam uma placa para atendimento “Estilo” ou um espaço com uma decoração melhoradinha, criam bandeiras diferentes no cartão de crédito e débito, fazem uma propaganda danada e no fim esquecem o principal: o fator humano.
    Colocam como gerentes de relacionamento Estilo o mesmo funcionário do banco de varejo, muitas vezes sem preparo nenhum e recém chegado no banco. Em minha agência mesmo, fazem um rodízio entre os funcionários para ver quem fica como gerente PJ, Estilo etc. Independente. Eu já fui atendido em minha agência por funcionário do caixa que estava fazendo as vezes do meu gerente que estava de férias. Por que? Herança dos tempos da burocracia empregatícia em que ser chefe era garantia de um aditivo no salário que muitas vezes era incorporado nos vencimentos. Esse realmente é um ponto delicado que o BB precisa rever para não acontecer o que houve com o nosso amigo Ex-funcionário e carecedor de renda comprovada para o segmento.
    Na concorrência um gerente do segmento de alta renda tem sob sua responsabilidade um numero de 300 a 500 clientes contraposto ao gerente de varejo que assume a responsabilidade de mais de dois mil correntistas. Quando não é mais que isso. A razão é clara: atendimento diferenciado, assessoria financeira especializada, redução dos riscos de falha humana nas operações de valor superior (60-100mil por cliente), preservação do cliente em ambiente mais seguro e confortável (afinal, falar com o cliente de um investimento de mais de 30 mil na frente de um moto-boy ou office-boy que pode informar para desconhecidos quem tem o quê é um perigo para o cliente e o banco assume esse risco ao deixar essa conversa exposta), tratamento pessoal e identificado (é bom o cliente saber quem cuida no banco de seu dinheiro e saber para quem ligar em emergência ou dúvida), e por aí vai.
    Não sinto isso de verdade no BB como sinto nos outros. Infelizmente, pois sou cliente do banco há mais de doze anos e confesso que só me mantenho lá por acomodação por receber meus proventos nele. O BB tem que investir mais em quem coloca como agente ou gerente de relacionamento Estilo. Quem tem dinheiro hoje não engole ineficiência, nem dá um “jeitinho” como se fazia antigamente. Como disse o Alberto, é só transferir de banco. Quem perde? O Banco. Quem tem a maioria das ações desse banco? A União, isto é, nós os Brasileiros.

  • Ricardo

    Não obstante eu concorde com o Alberto no sentido de que o Banco do Brasil é uma das mais lucrativas e seletas instituições bancárias no país, aliás estruturado como Sociedade de Economia Mista como bem lembrou, há que se ponderar que o serviço poderia ser melhor, eficiente e padronizado.
    Falo isso porque sou cliente do segmento de alta renda nesse e em outros dois bancos e posso avaliar a diferença no atendimento e preparo dos funcionários.
    O que sinto no Banco do Brasil é exatamente a lendidão e uma herança de tempos em que ser funcionário concursado era garantia de vida. Em nossa história, a burocratização do Estado foi uma fonte de empregos e distribuição de rendas tendo em vista o modo em que se operava nossa economia. Além disso, falando ainda em distribuição, os bancos estatais operavam como mecanismo de distribuiçào de serviços em localidades nas quais jamais a iniciativa privada teria interesse em investir. É só comparar a presença do BB e de outro banco, o Itaú por exemplo, nos sertões do nordeste ou florestas de Rondônia na década de 80.
    Hoje, entretanto, esse panorama econômico mudou radicalmente e o Princípio da Eficiência, recentemente constitucionalizado, trouxe uma nova forma de atuação do setor público, seja por parte da Administração Direta ou Indireta. Essa última da qual faz parte o BB independente de ser empresa pública ou sociedade de economia mista.
    Infelizmente o que se vê no BB é um descompromisso com a visão singular de atendimento diferenciado e fidelização. Em uma mesma agência de varejo, colocam uma placa para atendimento “Estilo” ou um espaço com uma decoração melhoradinha, criam bandeiras diferentes no cartão de crédito e débito, fazem uma propaganda danada e no fim esquecem o principal: o fator humano.
    Colocam como gerentes de relacionamento Estilo o mesmo funcionário do banco de varejo, muitas vezes sem preparo nenhum e recém chegado no banco. Em minha agência mesmo, fazem um rodízio entre os funcionários para ver quem fica como gerente PJ, Estilo etc. Independente. Eu já fui atendido em minha agência por funcionário do caixa que estava fazendo as vezes do meu gerente que estava de férias. Por que? Herança dos tempos da burocracia empregatícia em que ser chefe era garantia de um aditivo no salário que muitas vezes era incorporado nos vencimentos. Esse realmente é um ponto delicado que o BB precisa rever para não acontecer o que houve com o nosso amigo Ex-funcionário e carecedor de renda comprovada para o segmento.
    Na concorrência um gerente do segmento de alta renda tem sob sua responsabilidade um numero de 300 a 500 clientes contraposto ao gerente de varejo que assume a responsabilidade de mais de dois mil correntistas. Quando não é mais que isso. A razão é clara: atendimento diferenciado, assessoria financeira especializada, redução dos riscos de falha humana nas operações de valor superior (60-100mil por cliente), preservação do cliente em ambiente mais seguro e confortável (afinal, falar com o cliente de um investimento de mais de 30 mil na frente de um moto-boy ou office-boy que pode informar para desconhecidos quem tem o quê é um perigo para o cliente e o banco assume esse risco ao deixar essa conversa exposta), tratamento pessoal e identificado (é bom o cliente saber quem cuida no banco de seu dinheiro e saber para quem ligar em emergência ou dúvida), e por aí vai.
    Não sinto isso de verdade no BB como sinto nos outros. Infelizmente, pois sou cliente do banco há mais de doze anos e confesso que só me mantenho lá por acomodação por receber meus proventos nele. O BB tem que investir mais em quem coloca como agente ou gerente de relacionamento Estilo. Quem tem dinheiro hoje não engole ineficiência, nem dá um “jeitinho” como se fazia antigamente. Como disse o Alberto, é só transferir de banco. Quem perde? O Banco. Quem tem a maioria das ações desse banco? A União, isto é, nós os Brasileiros.

  • Blofs

    Ihhh esse aí deve ter deixado uma dividazinha lá…

  • badanfon

    Tenho conta no BB estilo e no Santander Van Gogh, é isso mesmo Van Gogh maiúsculo, no Banco do Brasil sinto minha conta estilo trouxa, estilo besta. A diferença é que a concorrência entre Santander, Itau, Bradesco e outros tantos, o que não acontece com o Banco do Brasil, os funcionários, o SAC e Ouvidoria quando erram não sabem pedir desculpas

  • badanfon

    Tenho conta no BB estilo e no Santander Van Gogh, é isso mesmo Van Gogh maiúsculo, no Banco do Brasil sinto minha conta estilo trouxa, estilo besta. A diferença é que a concorrência entre Santander, Itau, Bradesco e outros tantos, o que não acontece com o Banco do Brasil, os funcionários, o SAC e Ouvidoria quando erram não sabem pedir desculpas

  • badanfon

    Tenho conta no BB estilo e no Santander Van Gogh, é isso mesmo Van Gogh maiúsculo, no Banco do Brasil sinto minha conta estilo trouxa, estilo besta. A diferença é que a concorrência entre Santander, Itau, Bradesco e outros tantos, o que não acontece com o Banco do Brasil, os funcionários, o SAC e Ouvidoria quando erram não sabem pedir desculpas

  • badanfon

    Tenho conta no BB estilo e no Santander Van Gogh, é isso mesmo Van Gogh maiúsculo, no Banco do Brasil sinto minha conta estilo trouxa, estilo besta. A diferença é que a concorrência entre Santander, Itau, Bradesco e outros tantos, o que não acontece com o Banco do Brasil, os funcionários, o SAC e Ouvidoria quando erram não sabem pedir desculpas

  • http://twitter.com/rafaelvnq Rafael

    Penso o seguinte, se o banco nao se interessa em me atender decentemente como cliente, pego minhas malas e vo embora, ou seja… use seu dinheiro em outro banco, abra uma conta salário e mande o BB pra aquele lugar.

  • http://twitter.com/rafaelvnq Rafael

    Penso o seguinte, se o banco nao se interessa em me atender decentemente como cliente, pego minhas malas e vo embora, ou seja… use seu dinheiro em outro banco, abra uma conta salário e mande o BB pra aquele lugar.

  • Eachday

    Nada disso muda o fato de que o banco funciona muito mal. Desde os caixas eletronicos ate o internet banking, quando muda, muda para pior.